Esporte
Última atualização:

Instituto oferece atividades educacionais por meio do futebol

Quando a arte do futebol auxilia o desenvolvimento humano de crianças e adolescentes

Redação Curitiba Altruísta

As atividades complementares em contra turno estão organizadas nas áreas do conhecimento, articuladas aos componentes curriculares. Muitas delas têm tirado crianças e adolescentes das ruas, oferecendo oportunidades  para o aprofundamento da aprendizagem, experimentação e desenvolvimento. Seja dentro da Iniciação Científica, Cultura e Arte, Esporte e Lazer, Tecnologias da Informação, da Comunicação e uso de Mídias, Meio Ambiente, Direitos Humanos, Promoção da Saúde, Mundo do Trabalho e Geração de Rendas.

Sabendo disso, o Curitiba Altruísta foi atrás de instituições que oferecem atividades com intuito de gerar maior integração entre alunos, escola e comunidade, democratizando o acesso ao conhecimento e aos bens culturais, e o Instituto Futebol de Rua é um deles. O projeto começou em 2006, com a ação Craques pela Natureza, que foi implantada na comunidade de Higienópolis. Em 2007, criou-se o segundo núcleo em Curitiba (PR), no bairro Cajuru.

A instituição tem como objetivo associar o esporte com a educação tanto nas comunidades carentes como nas escolas municipais e, para isso, conta com uma equipe formada por administradores, pedagogos, professores de educação física e voluntários. Segundo o supervisor técnico do instituto, Saimon Juiz Avelino, o projeto se desenvolve por meio de parcerias colaborativas. “Os nossos parceiros só precisam ceder o espaço e algumas informações das crianças, como notas e frequência escolar, e em contrapartida nós contratamos e pagamos dois professores para aplicar a nossa metodologia, que funciona em dois tempos: na área de formação humana e na área esportiva. Para isso acontecer nós temos sempre um professor pedagogo e um de educação física”, explica.

O instituto realiza uma atividade chamada “Futebol de Rua pela Educação”, que mescla o exercício pedagógico, utilizado em prol do desenvolvimento social, com a prática esportiva do futebol de rua e do futebol freestyle. “Nossa ideia é incluir os temas sociais no jogo, modificando suas regras. Por exemplo, se o tema for inclusão de gênero, vamos ter meninas e meninos no mesmo time. Assim, nós usamos o esporte como ferramenta de transformação social e esse é o principal funcionamento do Instituto Futebol de Rua com as crianças”, relata o supervisor.

Atualmente, a instituição atende aproximadamente 800 crianças e possui 22 núcleos ativos em cinco estados brasileiros (Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina). No total, mais de 12 mil crianças já passaram pelo projeto. Se você se interessou pelo trabalho realizado e quer saber como ajudar, clique aqui ou acesse o Facebook da ONG.